quarta-feira, 30 de julho de 2008

... Sou parte daquilo que faço... e aquilo que faço é parte de mim...


Um dia você vai chegar tarde em casa...
As luzes vão piscar e acenar pra você que há a grande necessidade de trocar a lâmpada.
Você vai se arrastar pela sala, sentir os pés deslizando no tapete sujo e vai abrir devagar a porta do armario.
A lâmpada trocada já alivia a sensação de tarefas por fazer.
Seu banho vai ser rápido embora o cansaço pedisse mais.
Sua mente vai querer não pensar no dia que passou, no trabalho que não deu certo, na frustração que lhe cerca, nos seus amores proibidos e desejos já abandonados.
Você vai desviar seu olhar da TV que há tanto tempo só notifica dor e sofrimento.
Sua mão vai tocar o velho livro já lido mil vezes mas os olhos sem ânimo vão se fechar na terceira página.
Você vai sentir um desespero ouvindo o barulho da cidade lá fora, buzinas por todos os lados e as luzes piscantes ofuscando seu olhar na janela.
Do 15º andar ninguém consegue te ver e você vê todo mundo pequeno... bem mais distante que um dia já esteve.
E diriam que você é uma pessoa feliz, realizada mas no fundo você é sozinho.
Novamente se arrasta devagar até o sofá, puxa o laptop desligado há alguns dias e uma nostalgia já começa a percorrer o ambiente.
Navega...
Navega...
E um e-mail na caixa de entrada mais antigo que você mesmo, lhe atrairá. No mesmo instante os olhos faíscam e o sono já aproximado desaparece.
E lá está o link do seu blog... do blog de seus amigos...
O blog comunitário que no fundo você não queria fazer parte...
O blog tonto, com nome bobo, que tocava músicas idiotas o tempo todo... está lá...
Sem posts há anos...
Mas com lembranças permanentes.

Vai ser impossivel segurar o choro, eu sei.
E no mesmo instante vai abraçar a solidão junto à vontade de voltar no tempo...
Ou ao menos ligar para cada um de seus companheiros de vida e de blog...

Como o tempo passa... cada um está seguindo sua vida.
Ele com certeza deve ser um cineasta...
Ela com certeza deve ser uma ótima designer...
E o outro um perfeito jornalista...

Você conseguiu o que queria também...
Mas do 15º andar não tem ninguém para lhe dizer isso.

E você vai ler o blog por mais uma vez... depois de anos sem fazê-lo...
Vai pensar em postar algo, mas vai desistir...
Vai adicionar em favoritos...

E adormecer enquanto a cidade grande corre debaixo do céu.

... Nenhum tempo é suficiente para apagar de mim o que foi importante...

4 comentários:

Alissu disse...

Eita... Minha dose diária de emoção foi tomada aqui hoje. Caraca... Isso foi sublime.

=D

O jornalista sou eu? ^^'

HAUAHAUAHU!

daiacrm disse...

Yeah!!! O jornalista eh vc... >.<

^^

Espero ter ficado bom =)

Bjs!

Guegu Blog disse...

*_________*

mori di emossaum.

limdu

_diabolique_ disse...

Não só ficou bom como ficou ótimo também! ^^
Um futuro que me lembrou os flashsforwards de Lost xD, bem realista, só que por demais solitário...futuro então que eu me recuso a aceitar.